#07: Conteúdo diferenciado

Never hide | Super chameleon

Postado por Fabiano Coura em 22/04/09 as 11h23

A Ray-ban segue forte com a sua estratégia de criar pequenos e divertidos curtas e distribuí-los pela web. Até quando marcas vão se beneficiar dessa estética de "filme feito em casa" eu não sei, mas até lá vamos nos divertindo com a sequencia da Cutwater, de SF.

Puma King Print Campaign

Postado por Fabiano Coura em 03/02/09 as 22h49

As chuteiras de futebol da linha Puma King são meio que uma lenda entre os jogadores. Aliás, muitas lendas, como Pelé e Maradona, por exemplo, usaram esse produto ao longo de seus mais de 40 anos de existência. Mas não é sobre esse tipo de engajamento que eu queria falar. Eu queria apontar como esse tipo de campanha - linda e muito bem produzida - tem o poder de chamar a sua atenção, por mais que futebol não role na sua praia. Arte pura. Um presente para quem está folheando uma revista. E só por isso os criativos precisam mesmo cada vez mais beber em outras fontes. [veja outras peças da campanha após o jump].

Puma-king-1

Continue lendo "Puma King Print Campaign" »

A inovação muitas vezes está embaixo do seu nariz

Postado por Fabiano Coura em 03/02/09 as 17h34

Inovação. Em tempos de crise essa é uma das palavras que mais se ouve por aí [e também é uma das palavras mais mal usadas de todos os tempos]. Todos estão atrás do que não foi feito, do que é único, do que vai chamar a atenção das pessoas de uma forma incrível... blábláblá. Nessa correria, qualquer coisa virou inovação. Buzzword que pra muita gente já nem carrega o significado que merece. Aliás, fica até parecendo que inovação é a solução perfeita para tudo, para quem tem um produto ruim, para quem desperdiça dinheiro com processos mal pensados ou desrespeita seus clientes em um call Center. Bobagem. As empresas precisam de muito pouco para inovar. Às vezes só precisam ver se não tem nada embaixo do seu próprio nariz. O exemplo que me tocou essa semana está no recém lançado e-commerce da Casas Bahia. Os caras contrataram um ator que de forma bem humilde e didática apresenta o site, dicas e demos de produtos (acabei de ver que são mais de 126 vídeos até o momento, postados inclusive em um canal próprio no YouTube). É a mais sincera adaptação da experiência da loja para a Internet. Você tem o produto lá com todos os detalhes, compara, vê fotos e tudo mais – exatamente como nos demais sites de venda pela web – mas pode receber o usual malho de vendas que recebe na sua visita a loja física, também na loja virtual. Gênio. E você não sabe da maior: funciona até de madrugada (veja aqui). Pescou?

Veja o vídeo

Seguro Auto | A história por trás do meu sumiço

Postado por Fabiano Coura em 10/11/08 as 22h55

iTunes App Store Finalmente posso contar a vocês o motivo da minha ausência durante esses últimos 2 meses... Não, não estava viajando por aí de férias nem nada disso. Estava ralando. Trabalhando muito mesmo, mas fazendo uma coisa que eu gosto muito: criando coisas úteis e divertidas para gente como a gente. Fazendo valer a pena, como gosto de falar. Para nós, para nosso cliente e para os clientes do nosso cliente. Sei lá, acho que já faz uns 3 meses, mais ou menos. Naquela época o lançamento do iPhone no Brasil ainda era apenas um rumor, incluindo aí a briga entre as operadoras para ver qual delas ia conseguir trazê-lo primeiro para os brasileiros e tal. Foi lá atrás, nesse passado que me parece tão distante, que nosso cliente Bradesco Seguros e Previdência nos apresentou com um desafio maravilhoso: pensar em algo diferente, único, que pudesse agregar mais tecnologia e inovação para a marca. Único = inovador = algo que ninguém tivesse feito antes. Uau! Que muito mais bacana seria essa nossa profissão se tivéssemos só briefings assim!

Resolvemos então focar no universo do iPhone: a traquitana mais tecnológica, hype e desejada do ano tinha que oferecer alguma oportunidade para nós. O lançamento do SDK foi um grande impulso, pois tornaria o processo um pouco mais fácil (será?). Bom, pra tornar essa longa história um pouquinho mais curta, tá aí: o primeiro aplicativo comercial do Brasil acaba de ser lançado. Graças a coragem, confiança, comprometimento e muito esforço de muita gente legal, como o Nasser, Nabuco, Ana Claudia, Carla, Geraldo, Ribas, Caio, Kiko, Tosi, Breno, Raul e mais um monte de gente lá da FingerTips, da O2 Digital e da Hypno. Não foi fácil, mas valeu cada uma das 60.000 linhas de programação do nosso aplicativo :)

Iphoneseguroauto  

Nosso objetivo agora é provar que o que chamamos de “mobile” não é apenas uma tendência. De fato as pessoas querem estar o tempo inteiro conectadas entre si e querem poder portar suas vidas digitais consigo: músicas, fotos, vídeos e serviços. Isso representa uma mudança muito mais profunda e drástica no comportamento humano do que parece. Como profissionais de comunicação, nosso desafio passa a ser cada vez mais o de encontrar alternativas para levar mais utilidade para as pessoas nesse ambiente, e fazer com que nossas marcas “sejam mais” os conteúdos e os serviços que as pessoas desejam consumir.

Se você quiser conhecer um pouco melhor o projeto, acesse o site:

http://www.bradescoseguros.com.br/iphone/

Se você tem um iPhone, instale o aplicativo pelo atalho abaixo:

iTunes App Store 

Será que o Gorilla leva o GP?

Postado por Fabiano Coura em 20/06/08 as 15h46

Há controversias e muita discussão em torno disso, como já rolou no D&AD... Mas essa é a minha aposta. Não só pela polêmica, mas pela diversão e pelo que eu senti desde a primeira vez que vi esse filme.

In the Motherhood | Da Internet para TV

Postado por Fabiano Coura em 18/06/08 as 20h04

Inthemotherhood

David Lang – presidente da MindShare e a Laura Klaubert - VP of Global Media da Unilever – apresentaram seu sitcom online “In the Motherhood”, um projeto de conteúdo assinado pela marca Suave de produtos de higiene pessoal da Unilever, e amparado em 2 insights: (1) as mães olham para outras mães em busca de conselhos, mais do buscam especialistas; e (2) por mais absurdo que pareça, as mães ficam felizes quando encontram outras mães em uma situação pior do que a delas (veja o episódio do avião!). A inovação está no fato de que pela primeira vez um anunciante desse porte resolveu usar a Internet como realmente ela deve ser utilizada, mesclando suas principais forças para engajar suas consumidoras. O projeto tem todos os componentes para engajar as consumidoras com a marca, ao mesmo tempo em que divulga os produtos, aumenta a consideração e estimula a compra:

(1) As próprias consumidoras enviam suas histórias reais para os roteiristas (conteúdo gerado pelo consumidor);

(2) Os roteiros pré-selecionados são votados e discutidos pela comunidade (consumidor no poder / comunidade por afinidades);

(3) A dona da estória escolhida é então convidada para acompanhar toda a produção em Holywood e aparece no making of do episódio, que também fica disponível no o site (participação do consumidor e conteúdo diferenciado);

(4) Os programas podem ser assistidos quando e como as consumidoras quiserem (vídeo on-demmand);

(5) O produto está sempre em segundo plano, mas é evidente que ele é o grande astro do show, entregando a proposta da marca através dos temas dos episódios: Suave é uma marca que tem como objetivo ajudar as mães que desejam voltar a ter tempo que elas tinham antes de ter seus filhos;

(6) A marca atua como um “enabler” do processo de criação, colaboração e participação junto a seus consumidores – Dá voz as mães consumidoras da marca;

(7) Inúmeras execuções criativas derivadas do conceito convidam as consumidoras para acompanharem os episódios em todos os canais pertinentes (material de PVD, embalagens, spots de TV, etc);

(8) A marca atua prestando um serviço, oferecendo uma plataforma para que as mães possam se conectar entre si;

O show virou uma febre nos EUA (já são mais de 17 milhões de views) e em apenas 2,5 meses o site se tornou o 5o. destino online para pais e mães de maior tráfego nos EUA. Detalhe: a ABC fechou um acordo com a Unilever para transmitir o programa em TV, o que acabou gerando uma discussão entre nós por aqui: porque devemos celebrar o sucesso de um projeto só porque ele foi para a TV? Será que todo o charme e todos os motivos do sucesso dele (colaboração e participação) não vai se perder nesse meio de caminho? Definitivamente os tempos são outros.

Acesse o website do projeto aqui.

AXE Shock | Let the game continue...

Postado por Fabiano Coura em 17/06/08 as 22h08

Essa campanha vem da BBH de NY e está concorrendo também na categoria titanium do festival. Um conteúdo bem pertinente ao target da marca e uma forma bem bacana de consumí-lo. O filme todo tem 9 minutos e pode ser visto no site aqui. Quando o cara está muito exausto, você decide: pára tudo ou let the game continue... O produto é parte inseparável da estória: AXE Shock dá um gás para você aguentar a noite toda. Vale a pena ver.

Axeshock

Free Prize: Book "Think Digital", da Wunderman

Postado por Fabiano Coura em 16/06/08 as 19h56

Thinkdigital

Esse blog é mesmo uma mãe. Tá aqui para você baixar agora o PDF do livro Think Digital da Wunderman. A palestra deles vai ser amanhã... vou tentar passar por lá e depois conto para vocês minhas impressões. A polêmica já está escancarada logo na primeira página do livro (clique para ampliar). Desde 2005 o CEO Daniel Morel vem adquirindo um monte de agências digitais e empresas de tecnologia para o grupo e está trabalhando duro para garantir uma percepção "digital" para a Wunderman.

Wundermanbook

Coldplay | Antes só na Internet

Postado por Fabiano Coura em 09/06/08 as 00h34

Coldplay

O novo álbum do Coldplay “Viva La Vida or Death And All His Friends” será lançado somente no próximo dia 16 de junho, mas você já pode ouví-lo integralmente no MySpace desde sexta-feira da semana passada. Curiosamente a terceira música se chama “Lost” e bem que poderia ser um merecido recado para essa indústria desorientada, atrasada e arrogante. Escute agora mesmo aqui (você deve se logar no MySpace).

Nike, por Guy Ritchie

Postado por Fabiano Coura em 01/06/08 as 16h35

Não me lembro de outro comercial da Nike tão legal quanto esse. Experimente e decepção e a glória nos 2 minutos desse belo filme criado pela 72andsunny e dirigido pelo Guy Ritchie, também diretor do “Snatch”, "Jogos, trapaças e dois canos fumegantes" e de um dos curtas do BMW Films.

Audi RS6 | Desempenho de todas as partes

Postado por Fabiano Coura em 31/05/08 as 16h14

Nesse filme da BBH para promover o novo Audi RS6, ginastas húngaros representam o funcionamento e a performance de várias partes do carro, reforçando a precisão, força, agilidade e o perfeito funcionamento de cada uma das peças do veículo (faróis, pistões, turbo e bloco do motor).

O spot é um presente para os espectadores, que muito mais do que uma propaganda, assistem uma bela demonstração de arte e beleza, já que o carro só é anunciado nos últimos 3 segundos do filme.

O site também está bem bonito e apresenta um amplo conteúdo extra sobre o carro e sobre a campanha. Vale conhecer e assistir o vídeo de 2 minutos do making of.

Samsung G800 | How We Met

Postado por Fabiano Coura em 30/05/08 as 21h46

Vejam que bacana esse curta da Samsung para divulgar seu modelo G800, cuja principal feature é um zoom ótico de 3x, coisa rara em celulares. A produção consumiu 4 dias, 10 canetas e 16 pacotes de lenços para limpeza de maquiagem... O stop motion foi montado com 1622 fotos e já tem 8,3 milhões de views. O site só conta um pouquinho da produção e leva o usuário para a página do produto, onde tem um viralzinho tosquinho, mas que fecha o ciclo cadastrando possíveis interessados.

Coca-cola: Happiness Factory, The Movie

Postado por Fabiano Coura em 15/08/07 as 13h07

A saga continua... Depois de conquistar a audiência com o spot "Fábrica da Felicidade" através da mídia paga, a Coca-cola estende a experiência com a campanha oferecendo conteúdos adicionais para serem consumidos na web, gratuitamente. Interessante imaginar que talvez o engajamento conquistado tenha pago os custos de produção, uma vez que essas fases posteriores da campanha não exigiram investimentos em mídia. Só para lembrar: Content is King! Vejam o filme abaixo e aproveitem para assistir novamente o documentário e o filme que deu origem a série.

The Movie

Behind the Scenes

The Spot

Coca-cola Hapiness Factory

Postado por Fabiano Coura em 26/07/07 as 14h31

E a ativação do filme "Fábrica de Alegria" segue forte nesse maravilhoso "extra" desenvolvido para a web.

   

Emerging Media & Vi­deo Revolution

Postado por Fabiano Coura em 15/10/06 as 11h52

Michael Davis, SVP & Director of Emerging Media, Draft

Platéia lotada e palestrante tenso. Nessa situação nada melhor que uma piadinha para relaxar: "€œEstou nervoso hoje porque sei que amanhã o Richard Branson vai fazer a apresentação dele aqui e estou me sentindo como uma bandinha qualquer abrindo o show do Rolling Stones!"€.

Desde que a Draft (uma agência de marketing direto) se uniu com a FCB, muitas coisas estão acontecendo por lá. Entre elas, a necessidade de se disseminar o DNA da comunicação dirigida e da ativação pela nova agência (parece que conheço essa missão!), por isso eles tem inovado em um monte de execuções em novas mí­dias, principalmente para a Kellogs, que é uma conta global deles.

Bom, vamos a palestra. No blá blá blá inicial aquela estória toda que já conhecemos: 80 milhões de usuários broadband nos EUA, 250 milhões de celulares ativos, 60 milhões de casas com aparelhos de video on demand, 55% das pessoas terão um notebook até o final do ano que vem, 80 milhões de usuários do TiVo e mais de 33 milhões de assinantes de rádio por satélite (sem insersões comerciais). Ou seja, uma absurda e crescente fragmentação de mí­dia que coloca o cliente ainda mais no poder (pulling) com uma infinidade de opções diferentes para gastar seu tempo, sem necessariamente consumir mí­dia nesse processo.

Quais são as alternativas? Segundo Miles, a Draft aposta no "€œContent is the new King"€. Conteúdo de alta qualidade, adaptado para diversas plataformas existentes (iPod, PSP, celulares, etc) e distribuí­dos via redes sociais, proporcionando a audiência os mágicos 4 Cs que tanto esperam: control, choice, customization e collaboration (O Mundo é de quem faz!).

Sem dúvida estamos acompanhando esse ano a revolução do ví­deo no mundo (veja a aposta do Google comprando o YouTube essa semana!). Antigamente o custo médio para a produção de um minuto de ví­deo em 35mm era de aproximadamente US$70,00. Hoje em dia o mesmo minuto custa apenas US$2,00 para ser rodado em uma câmera HD. No Google a busca por filmes independentes ultrapassou durante os últimos meses a busca por ví­deos comerciais (€œIndependent€ = 108 milhões de buscas X €œHollywood€ = 81 milhões de buscas). Os conteúdos mais consumidos hoje em dia no mundo estão na Internet e as pessoas já entenderam que nesse canal elas podem mandar sua mensagem para o mundo (67% dos produtores de conteúdo pessoal o fazem pela fama e pelo reconhecimento pela sua criatividade). Vejam o recente exemplo dos chafarizes de Coca-cola Light com Mentos. Vejam os ví­deos da "Lonelygirl15" no YouTube, cuja audiência (de mais de 11 milhões de espectadores) já ultrapassou a de muitos programas mainstream por aqui.

Para podermos aproveitar as oportunidades desse cenário vamos ter que...

#1. Entender melhor esse eco-sistema (e todos os detalhes técnicos por trás de cada processo) para distribuirmos nossos conteúdos através dele: Geração de conteúdo (Apple iMovie, Microsoft Movie Maker, etc); Agregadores de conteúdo (iTunes, YouTube, iFilm, etc) e Plataformas de consumo  de conteúdo (Mobile Browser, Internet Explorer, Java Browser, Playstation Portable, iPod, etc).

#2. Compreender que as pessoas querem acessar seus conteúdos em dispositivos móveis e€“ querem ter a TV em seu celular - mesmo que isso comprometa a qualidade desse consumo (39% das pessoas usam o celular aqui nos EUA para consultar a previsão do tempo; 27% para consultar informações sobre o trânsito; 23% para ver filmes; 21% para assistir shows de comédia; 21% para assistir noticiários e 19% para assistir programas de esportes).

#3. Usar muita criatividade para entender a cabeça desses novos consumidores de conteúdo e produzir coisas legais que passem pelos seus filtros neurais "anti-comerciais".

#4. Colocar toda a tecnologia existente e o poder das redes sociais para fazer as idéias acontecerem com o menor esforço possí­vel de mí­dia (isso é o que os clientes vão começar a procurar cada vez mais).

Para fechar, dois exemplos bem legais em que esses 4 pontos se fazem presentes.

A Shakira nunca vendeu tantos discos quanto tem vendido nesses últimos dias sem esforço nenhum de mídia. Um clipe bizarro produzido com sua música já foi visto por mais 18 milhões de pessoas na Internet. Pela regra geral, depois que você assiste umas 4 vezes acaba começando a gostar da música e vai comprar o disco.

Nesse belo projeto da MediaZest (UK) para ajudar a C&A a promover sua nova linha de lingerie em Berlin, um display em 3D dentro da vitrine da loja projetava o holograma de uma linda mocinha que ficava chamando as pessoas na rua. Tudo era filmado e transmitido ao vivo pela Internet. Alguns filmes de 30 segundos com uma compilação dos trechos mais engraçados capturados na rua foram para a mí­dia para potencializar ainda mais o efeito viral da ação (clique na imagem abaixo para ir para o site deles e assistir um ví­deo que conta essa estória).

Seitegirl

© 2010 Fabiano Coura | Todos os direitos reservados | No ar desde outubro de 2006