#10: Surpreender sempre

A maior placa do mundo e seus leões póstumos

Postado por Fabiano Coura em 22/06/10 as 08h56

A Farfar foi desligada pela Isobar em abril desse ano (se eu não estiver mal informado, acho que a decisão foi definitiva), após muito brilhar na nossa indústria, conquistando praticamente todos os prêmios existentes e construindo uma história de inovação admirável. Esse post é apenas para celebrar o leão póstumo deles aqui em Cannes, registrado nesse belo trabalho para a Nokia.

Axion | Concert Banners

Postado por Fabiano Coura em 24/06/09 as 22h43

O Axion é um banco belga que precisava se conectar de um jeito diferente com seu público teen. Aqui eu ví uma inovação de "gente grande", especialmente porque ao invés de estar baseada em uma nova tecnologia ou plataforma, está totalmente baseada na peça mais velhinha de todas que temos na Internet: o banner. E trabalhando na área você sabe que uma das principais missões do nosso mercado é renovar esse formato, encontrar maneiras mais relevantes de maior impacto para engajar a audiência, ao invés de simplesmente interromper. Você sabe também que as taxas de cliques médias do mercado são decrescentes e sabe da dificuldade que temos ano após ano para bater novos recordes, mesmo em campanhas super diferenciadas. E esse case foi sensacional para mim porque me fez sentir uma criança na frente de um brinquedo novo. Reinventa o banner colocando ele em um contexto relevante, agrega conteúdo e agrega serviço para as pessoas através de um concurso incrível. Veja o resumo do case no vídeo abaixo.

Criatividade para inovar em tempo de crise

Postado por Fabiano Coura em 24/06/09 as 09h17

O seminário da JWT foi dos mais divertidos até agora. O Fernando Vega Olmos apresentou sua peculiar visão sobre a crise, expressando-se através de imagens e visões engraçadas e realistas. Comentou também um pouco sobre a importância de uma postura otimista durante esses períodos difíceis para que grandes oportunidades possam ser aproveitadas. Somente como exemplo, durante o período de 1999 e 2002 a Apple estava perdendo cerca de 6% ao ano e, ao mesmo tempo, estava investindo cerca de 42% mais em pesquisa e desenvolvimento [estavam desenvolvendo o iPod nesse período :)]. Para fazer a comparação do quanto eles foram arrojados e otimistas, o Japão incrementou seu investimento em R&D em apenas 1% nesse período, os EUA 2%, e a India e a China incrementaram em 7%. Para fechar, apresentou alguns exemplos interessantes de inovação das agências da rede, incluindo o sensacional case do Band-Aid Fashion da JWT de São Paulo e o Kit Kat Mail, do escritório japonês, que levou o GP de mídia esse ano.

Band-Aid

KitKat Mail

Museu Efemero

Postado por Fabiano Coura em 23/06/09 as 09h42

The street have no borders. Veja o video do case abaixo e acesse o site do projeto aqui. [da Leo de Lisboa]

Long de TItanium | Zuji Online Travel | Beans

Postado por Fabiano Coura em 21/06/09 as 19h48

De uma maneira bem simplória e literal, a agência de viagens Zuji, resolveu ajudar as pessoas a economizarem dinheiro para viajar mais. Para isso, iniciaram uma série de lançamentos de produtos na Austrália a preço de banana com a marca da empresa, sob o slogan "Helping holidays happen". O primeiro produto lançado oficialmente foi o "feijão enlatado", por apenas 10c, vendido em lojas por todo país. Confiram abaixo o vídeo do case.

Orange “Spot the Buzz” [bull]

Postado por Fabiano Coura em 05/06/09 as 14h45

Spot-the-bull

A Poke resolveu relançar com a Orange o projeto “Spot the Bull”, para promover o patrocínio da marca no festival Glastonbury. Resolvi falar sobre esse projeto dessa vez porque ele me faz pensar o quão importante um ingrediente inusitado pode ser para ressaltar o que, no final das contas, é apenas uma simples promoçãozinha online. A mecânica é muito diferente: você se cadastra e faz uma aposta para dizer onde um touro [equipado com um GPS] estará posicionado exatamente às 15h [uma espécie de batalha naval com um touro]. Se você acertar, você ganha ingressos para o festival. O site mostra onde o Desmond (nome do animal) está naquele momento e permite que você veja imagens minuto a minuto. Detalhe: acabei de passar pelo site e o Desmond já tem 432 seguidores no Twitter.

Execuções "extra-interativas"

Postado por Fabiano Coura em 12/12/08 as 17h30

Parece que eu já vi esse filme por ai. Parece mesmo que não dá mais para desassociar tecnologia de comunicação. Especialmente se você quer fazer algo para não passar despercebido. Clique na imagem para ver.

   

Contextual ads na TV

Postado por Fabiano Coura em 11/12/08 as 17h16

Isso tinha passado pelo meu radar. Totalmente. Reencontrei hoje nos meus favoritos do YouTube e me pareceu algo mais bacana do que tinha parecido quando vi pela primeira vez. Resolvi compartilhar porque acho que realmente temos algo novo aqui... Esse projeto praticamente funciona como um AdWords, só que na TV. E sem o clique :) Ok, menos.

AC/DC em macro de Excel

Postado por Fabiano Coura em 26/10/08 as 18h23

Os vídeos musicais muitas vezes são explorados como espaço de laboratório por artistas e novos diretores ávidos por inovar e testar novas linguagens e caminhos. Eu acho que isso ocorre, pois bandas demandam muito mais inovação do que se permitem as empresas e suas marcas. Esse ano tivemos o maravilhoso trabalho do Radiohead, com o clipe House of Cards, com quase 5 milhões de visualizações no YouTube so far, e criado através da visualização de informações coletadas com o uso de uma tecnologia que captura dados em 3D dos objetos, cenas e rostos dos artistas.

A banda australiana AC/DC resolveu surfar essa onda e está lançando o primeiro vídeo clipe em Excel do mundo. Além do fato de que um arquivo desse tipo pode muito mais facilmente invadir um ambiente corporativo (sim, conheço muita gente que não pode acessar YouTube do trabalho) não vejo nenhum outro motivo pelo qual uma pessoa normal curtiria assistir um clipe de rock dentro do Excel. Anyway, como tudo aquilo que nunca foi feito antes dificilmente passa direto pelo nosso radar, me parece um recurso interessante para chamar a atenção para um lançamento de uma banda que há muito tempo não gravava e declara continuamente que não se dá muito bem com esse novo cenário do mercado fonográfico em que pessoas baixam músicas e tal.

Animação em ASCII não é algo inovador. Há muito, mas muito tempo atrás, eu assisti o trabalho de um doido que recriou trechos do Star Wars em caracteres (iniciado em 1997) - e foi feito tudo na mão mesmo, sem tecnologia para transformar imagens em texto (aqui) , como parece ter sido nesse trabalho do AC/DC.

Anyway, Angus Young Rocks. Baixe o formato original no site aqui ou assista um trecho no vídeo abaixo.

Oásis | Explorando novos canais de comunicação

Postado por Fabiano Coura em 21/09/08 as 20h30

O álbum só sai no dia 07 de outubro, mas já é possível ouvir 3 faixas inéditas pelas ruas de NYC. Essa é a ação de pré-lançamento do novo álbum do Oasis, executada pelos músicos do MUNY (Music Under New York). Além do filme abaixo, dá para ver algumas fotos enviadas pelas pessoas para o grupo no Flickr aqui.

Outro candidato: No blinking woman

Postado por Fabiano Coura em 20/06/08 as 15h50

Esse é um segundo filme forte para o GP, também bastante comentado aqui em Cannes. Dá série faça algo diferente e chame a atenção das pessoas. Assista e faça suas apostas.

iPod no Palito

Postado por Fabiano Coura em 16/06/08 as 20h09

É para o Brasil comemorar: das 4 inscrições de promo que foram para o shorlist, 3 receberam leão de bronze. O iPod no Palito, da Bullet, levou 2. A idéia é muito bacana, muitíssimo bem executada e sua implementação tem um grande mérito. Vale rever o filme que conta todo o case abaixo.

Continue lendo "iPod no Palito" »

Honda comprova que o difícil vale a pena

Postado por Fabiano Coura em 12/06/08 as 11h51

Para lançar a nova campanha "Difficult is Worth Doing", a Wieden+Kennedy lançou um desafio bem diferente: 19 pára-quedistas formariam as letras H-O-N-D-A nos céus de Madri durante 3 minutos e tudo seria transmitido AO VIVO. Para envolver a audiência com o desafio, criaram um blog e um canal do YouTube que ia contando aos poucos o processo de treinamento dos participantes e a preparação da produção do filme. Abaixo você assiste o filme que foi ao ar no dia 29 de maio e o desdobramento que foi criado para o comercial do Accord. Será que o difícil valeu a pena? Segundo o The Guardian, 2.2 milhões de telespectadores pregaram os olhos nas TVs inglesas para assistir a produção e, segundo esse que vos escreve, o Google já indexou mais de 600 mil menções ao termo "honda live advert" e acho que é aí que os verdadeiros resultados em termos de audiência estão.

Esse é o live broadcast:

E essas são as versões produzidas especialmente para o Honda Accord (o segundo vídeo apresenta o making of e estende um pouco mais a campanha).


Zoom no mapa para descobrir o N95 da Nokia

Postado por Fabiano Coura em 09/06/08 as 00h53

Eu não tinha noção dos números e da relevância apontados no case desse novo-recém-criado canal, mas isso não importa. A solução encontrada aqui é bem bacana e acho que vai ser cada vez mais assim mesmo, as grandes oportunidades estão aí o tempo todo, mas só podem ser enxergadas através de um olhar inovador e despretensioso, que poucos veículos possuem. Nesse caso a reinvenção veio junto a Microsoft e a implementação não deve ter sido fácil não, o que faz com que essa idéia tenha ainda mais mérito (até estou apostando nela como um potencial ganhador de um Media Lion esse ano).

Novas Mídias: Venda (mais que) direta

Postado por Fabiano Coura em 19/06/07 as 19h17

Fiquei sabendo que por poucos votos essa idéia não fica com o GP do Lions Direct... Para divulgar seus acessórios para fotos submarinas, todas as novas máquinas digitais da Olympus vinham de fábrica com um divertido vídeo de um tubarão nadando (como se alguem tivesse usado a câmera antes e deixado esse vídeo alí). O tubarão vem na direção do fotógrafo e da um sorrisinho para a câmera! Achei essa idéia sensacional - por três motivos: (1) é muito simples; (2) eu ainda não tinha visto a utilização de uma feature do próprio produto para cross sell (em geral muitas marcas usam as embalagens para isso, no máximo) e; (3) pela precisão do momento do impacto. A pessoa recebe um conteúdo simpático da marca assim que liga o produto, em um momento em que está tendo uma experiência de valor com a marca, que é enrriquecida com esse impacto.
Olympus

© 2010 Fabiano Coura | Todos os direitos reservados | No ar desde outubro de 2006